sábado, 29 de dezembro de 2007

divagações sobre o vazio de não saber escrever muito menos fotografar.

Tá. Eu consegui. Não se escrever, mas também não sei fotografar isso. E olha que fotografar é o que faço de melhor... Tinha um propósito (ainda que inconsciente, mas era um propósito) e ele sem cumpriu. E agora?

Agora nada.

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

pergunta do dia:

até que ponto chegamos pra que nossas imagens sejam mostradas pelo mundo afora?

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

última consideração

uma nova mulher. agora mulher.

pra sempre.

quinta-feira, 14 de junho de 2007

pequenas linhas durante o "trabalho"

muzzle.
pumpkins.

puzzle.

quebra-cabeça.
cabeça idiota.
você.
eu.

segunda-feira, 7 de maio de 2007

ontem eu caí de novo por tua causa.
por que sempre que tudo tá bom você me mata desse jeito?

sai da minha mente, vai.
sai, sai...

domingo, 15 de abril de 2007

fim

E, de repente, tudo acaba. Tudo vai embora, como se não tivesse sido.
Como se não tivesse acontecido. Como se não tivessem me amado tanto
ou como se não fôssemos um.

Nunca fomos um.
Fomos sempre dois, vagando, nos matando aos poucos.

Tudo isso acaba agora.
E, incrivelmente, eu estou bem.

sábado, 7 de abril de 2007

a gente sabe
que nunca fica certo
o que a gente quer.

dançar, dançar
na pista pra todo
mundo olhar.

coca-cola, anfetamina
muita gente pra sonhar
e a gente aqui parado.

quarta-feira, 4 de abril de 2007

nota idiotinha da noite

Uma pontinha de desprezo
surge lá do fundo
e eu sei que você
não tá nem aí.

Desculpinhas bestinhas.

Quanto tempo mais
você precisa
pra me destruir?

(Tudo no diminutivo mesmo.
É assim que sempre vai ser.
E você? Quanto tempo mais
ainda vai rir?)

Atrás de suas musas inexistentes,
meninas sem dentes
e tudo mais que há por vir.

Pessoa sem sensibilidade,
é muita incapacidade
não perceber
que eu estou pra explodir.

domingo, 25 de março de 2007

pequeno tributo ao meu domingo

Sunday Morning - The Bolshoi

I remember when I was young

Feeling sick on Sunday morning
I don't wanna do it anymore

Standing in a line with a dirty mind
Clean it up on Sunday morning
I don't wanna do it anymore

One day a week we turn the cheek (x2)

Oh, how we'd kneel down
Oh, we were so quiet
Never any light there
I don't care, it's not right there

Get up early, do your hair
Sunday best on Sunday morning
I don't wanna see it anymore

Tea and toast in the social hall
We had it all on Sunday morning
I don't wanna see it anymore

We come in fear , to worship here (x2)

(CHORUS)

It's wrong to feel, It's wrong to care
You must not steal, you must not swear

(CHORUS)

I don't wanna do it anymore
I don't wanna see it anymore


marchinha (insossa) II: o motivo da ressaca

no carro automático,
gente falando errado,
berrando do meu lado.
começo de noite,
doce de leite e água gelada
e a gente numa fria:
"Laura, nem entra
que o Luca deu mancada"
"Ai que saco,
e o que vai ser agora?"
"Bom, deixa eu ver,
vamo mudar de balada"...

então de gay eu fui pra punk
gloria gaynor, spice girls
sex pistols e the CLASH,
foi aí que eu fui parar.
um limão e muito sal,
tequila ouro pr'eu virar.
vexame então, como previsto:
"quer mais uma dose?"
"sai daqui com isto!
eu só quis viver a vida
com um pouco de alegria.
não queria naufragar
e nem morrer de cirrose."

sábado, 24 de março de 2007

marchinha (insossa) de começo de noite

faz cabelo, faz a mão
que é hora de sair!
faz hora, toma banho
ouve um som, é agora!
brigadeiro, paulista, augusta
desce mais, desce mais
desce a saia que tá justa!
chega lá, da beijinhos
com carinho, "oi, amiguinho!"
"me vê uma tequila?"
"cuidado, vai dar vexame!"
"não, relaxa, é só uma dose.
quero aproveitar a vida e
não morrer de esclerose."





(com o intuito de lembrar a todos
que todos
precisamos de momentos fúteis,
por mais inúteis
que eles possam parecer.)

considerações finais...

... de um dia turbulento e, ao mesmo tempo, vazio:


tudo passa

e eu não vejo passar;
e tudo muda
menos eu, pra variar.

e, por hoje, é só.
vou comer e vou deitar.

rotina

abre a porta, entra.
fala comigo, lamenta.
fecho os olhos:
"me esquenta"?

não dá mais.
- "aguenta!"

sexta-feira, 23 de março de 2007

insight número 1

(atenção para a ironia do título)


me peguei pensando
se era a imagem mesmo
o certo que, de repente,
num momento inconsistente
escolhi.

não deveriam ter sido as letras?
palavras, papéis e canetas?
ou computador... que seja.
tive que correr, nem pensei
me afobei,
caí na bobeira do momento decisivo
como Bresson, sabe,
o clichê natural
das mentes afobadas.

escolhi errado. escolhi nada.

de uma nova tentativa de um novo começo.

Tentativa de um novo começo de uma nova escrita.
Tentativa de olhar o passado e aprender.

Tentativa de viver, re-viver.