segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

sobre máquinas de lavar roupas

Máquina de lavar é uma coisa engraçada. Lavando roupa hoje, percebi que ela é super inteligente: ela joga água com sabão, joga amaciante e outros extras na hora certa e ainda enxágua. E as opções de lavagem então? "Branco encardido", "pesado sujo", "roupa preta", "roupa íntima", "roupa de bebê", "tapete"... e a minha mãe diz: "ah, eu gosto de colocar sempre na lavagem rápida de 25 minutos"... Será por isso que minhas roupas parecem nunca estarem bem lavadas? ... não sei. Só sei que máquinas de lavar são sensacionais.

Até adquirirmos esta máquina de lavar, tínhamos o tal "tanquinho", sonho de qualquer dona de casa de baixa renda (acho...). O tanquinho era legal, mas não supria as necessidades de uma adulta bancária e uma "adolescente virando mocinha"... Então, resolvemos comprar a máquina de lavar.

Uau! Ela lava tudo e eu nem preciso molhar a mão... A não ser na hora de estender, mas é pouquinho, porque quando o último enxágue acaba (sim, porque tem vááários enxágues), todas as peças já estão quase secas. Daí é só colocar no varal (será que já tem máquina pra estender roupa também...?). Esta é a parte que eu detesto: colocar as roupas no varal... Temos tecnologia suficiente pra não precisarmos mais gastar nosso precioso tempo de século XXI molhando nossas mãos e acabando com o efeito hidrante de cremes caríssimos com sabão em pó, lavando roupa, mas ainda temos que perder parte do nosso precioso tempo, colocando dois pregadores em cada peça de roupa que sai da máquina (quase seca!). Façam as contas: só hoje eu coloquei umas 30 peças de roupa na máquina. Trinta vezes dois pregadores por peça, são 60 pregadores só pra um dia de lavagem! E olha que foram só as roupas pretas... Tem as brancas, as "coloridas", as pretas, brancas e coloridas da minha mãe...

Haja pregador!

... enfim. O que importa não é a quantidade de pregadores, mas sim que o meu "precisoso tempo de século XXI" não está sendo gasto com sabão em pó e água fria e, graças à minha máquina de lavar, eu posso sentar na frente do computador às 16h22 de uma segunda-feira e aproveitar meu sétimo dia de recesso do trabalho, enquanto a máquina gira, torce, retorce, enxágua, lava MINHAS roupas e não pede nada em troca!

sábado, 27 de dezembro de 2008

... e, finalmente, a liberdade vem,
entra sem bater, invade, vai além.
me torna uma pessoa melhor,
uma pessoa que voa lá longe,
nas montanhas e colinas,
caçando água, vento e flor.

estou tão livre quanto a dor
que invade a mente de quem trai.
estou tão livre quanto o pavor
que um dia, entrou em mim,
e acabou comigo, com furor.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

vocês já tiveram um natal incrível?

...

eu já. =)



ps.: várias mudanças pra 2009. que papo clichê, não?

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

batatinha quando nasce, esparrama pelo chão.
menininha quando dorme, põe a mão no coração
que derrama de montão, o sangue da paixão,
que a levou até o céu, carregando-a pela mão.


pronto! rimei "chão" com "coração" com "paixão" com "mão".
só faltou o "caminhão".


ps.: é errado usar Rotomatic às duas da madrugada pra terminar um presente de natal feito a mão?

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

mini-declaração de final de ano.

"Adeeeeeus aaaano veeelho...
Feliiiiiiz aaaano nooooovo.
Que tuuudo se reeee-a-liiiiize,
no aaaaano que vaaai nasceeeeer...

Mui-to-di-nhei-ro-no-booooooolso...
Sa-ú-de-pra-dar-e-ven-deeeeeer....!"

tomara, tomara... dinheiro, saúde... que mais? amor? não, valeu, já tenho coisa melhor que esse tal amor. consegui, finalmente, encontrar a parte amarela pra completar essa minha parte azul. e isso, eu garanto: é melhor que amor.

auto-retrato de Laura Sobenes

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

...ou então, é admitir que estamos errados, subindo uma escada rolante em um dia de sol.

Esses dias eu estou presa aqui dentro. Deve ser a pílula que tá me fazendo mal. Ou deve ser só o sol mesmo, que insiste em sair quando eu tô de preto... mas eu sempre tô de preto. Não... mentira. Ontem eu comprei um vestido verde... e preto. Verde e preto. Mas tem verde.

O que importa é o verde do vestido, que já é uma puta mudança pra quem só usa preto, cinza, branco e tons "pastéis". Este ano, já comprei uma carteira vermelha, um vestido verde (e preto!) e um lencinho amarelo. O que mais falta?

...

Ah! Já sei! Falta eu admitir que, às vezes, eu posso mesmo estar errada.

domingo, 7 de dezembro de 2008

É como quando você descobre que não passou no vestibular da sua faculdade favorita; é como comer macarrão ao alho e óleo, sendo que você acordou com vontade de comer à bolonhesa; é como descobrir que não tem tua numeração daquele tênis que você juntou cinco meses de salário pra comprar; é como quando o aquecedor para de funcionar no meio do seu banho quente; é como descobrir que tudo que você pensava antes já não faz mais sentido...


... é como morrer.

sábado, 6 de dezembro de 2008

... faltam vinte e quatro minutos para as 8h da manhã.
agora eu tenho um novo brinquedo...! e ele tem uma maçã bem grande na frente e um teclado fininho, fininho...

... ai, ai, como é bom mexer em equipamentos que funcionam...!



ps.: anciosamente esperando chegar as 8h da manhã.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

conclusão

depois de uma ligação, perto da hora do meu almoço (após quatro horas turbulentas de início de dia de trabalho), eu percebo que, mesmo não encaixando, a gente aperta bastante, pra encaixar!

... e, hoje, eu tô feliz!

=)
apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve, apaga, escreve...


...apagou!

divagações de 21.11.2008

(besteirinhas de qualquer sexta-feira por aí...)

variação 001:

... e ele deitou no chão. Onde foi que eu errei?
Eu só queria era dar alegria pra vida vazia
que todo mundo tem!

variação 002:

Você dormiu no chão,
cortou meu coração
e disse que era o calor.

Se o calor é tão forte assim,
como você encosta em mim
quase toda noite, sem pudor?

variação 003:

Quando, então, você foi pra cama,
não quero nem pensar.
Partiu meu coração, meu cérebro...
Quase apagou minha chama.